Norah Wood e o senhor Dan

Publicado em por Amandina Morbeck em Cotidiano, Gente
Norah Wood e senhor Dan - Foto: Tara Wood.

Norah Wood e senhor Dan – Foto: Tara Wood.

Li sobre Norah Wood, 4 e do senhor Dan, 82 – cujo primeiro encontro aconteceu em setembro deste ano num mercado na cidade de Augusta, Geórgia, Estados Unidos – no site Little Things e gostei demais, por isso faço aqui a tradução dessa linda história, escrita originalmente em inglês pela mãe da garotinha, a escritora Tara Wood. Emocionante!

Essa é Norah Wood, protagonista dessa história - Foto: Tara Wood.

Essa é Norah Wood, protagonista dessa história – Foto: Tara Wood.

“Um dia antes do quarto aniversário de minha filha Norah, ela previu um evento incrível.

Eu tinha acabado de buscá-la na pré-escola quando ela me alertou para ficar atenta a um idoso atravessando o estacionamento bem devagar. Ela explicou que tinha muita simpatia por pessoas mais velhas: ‘Gosto mais de idosos porque eles andam devagar como eu e têm a pele delicada como a minha. Eles vão morrer logo, por isso vou amar muito a eles antes que morram’.

Claro que ficou estranho e pesado no final, mas gostei do que estava no seu coração. Fiquei tocada por sua consideração e sua empatia e postei o que ela disse no Facebook quando cheguei em casa. Eu não tinha ideia do quanto aquilo significava para ela.

No dia seguinte, seu aniversário, novamente voltando da escola para casa, ela pediu se eu podia parar no mercado para comprar cupcakes para ela e seus seis irmãos celebrarem depois do jantar.

Como dizer não a uma garotinha no dia do aniversário?

Coloquei Norah e sua irmã mais nova num daqueles carrinhos de compra enormes e pesados no formato de um automóvel e segui em direção à padaria. Depois de pegarmos os cupcakes, parei em frente a uma prateleira de liquidação que me chamou a atenção.

Enquanto eu estava distraída pegando e devolvendo molhos e latas de produtos quase vencidos, Norah estava ocupada, de pé no carrinho, acenando animadamente e anunciando alegremente: ‘Oi, velho! É meu aniversário hoje!’.

Senhor Dan e Norah Wood no primeiro encontro no mercado em setembro/2016 - Foto: Tara Wood.

Senhor Dan e Norah no primeiro encontro no mercado em setembro/2016 – Foto: Tara Wood.

O homem era idoso, com expressão rígida e sulcos entre as sobrancelhas. Porém, antes que eu a fizesse calar por chamá-lo de ‘velho’ ou pedisse ao piso para me engolir por completo, ele parou e virou-se para ela.

Se ficou incomodado com a sinceridade da minha filha, ele não demonstrou. Sua expressão suavizou enquanto ele respondia: ‘Olá, mocinha! E quantos anos você faz hoje?’. Eles conversaram um pouquinho, ele lhe desejou feliz aniversário e nos separamos.

Encontramos o senhor alguns corredores depois e me aproximei dele. ‘Com licença, senhor. Esta é Norah e ela quer saber se o senhor tiraria uma foto com ela pelo seu aniversário.’

Sua expressão rapidamente mudou de confusa para espantada e depois para encantada. Ele deu um passo para trás, segurou-se em seu carrinho de compra e apoiou no seu peito a mão que estava livre. ‘Uma foto? Comigo?’, perguntou. ‘Sim, claro, pelo meu aniversário!’, Norah pediu.

E então ele atendeu. Peguei meu iPhone e eles posaram juntos. Ela apoiou sua mão macia na dele. Sem palavras, ele olhou para ela com olhos brilhantes enquanto ela manteve a mão dele na sua e observou sua veias finas e as juntas desgastadas. Ela beijou o dorso da mão dele e a colocou na sua bochecha. Ele sorriu. Perguntei seu nome e ele disse para o chamarmos de Dan. 

Estávamos no caminho de outros clientes, mas eles não se importaram. Havia mágica acontecendo no mercado aquele dia e todos podíamos sentir isso. Norah e o senhor Dan certamente não perceberam que conversavam como amigos que não se viam há muito tempo.

Depois de uns minutos, agradeci o senhor Dan por ter compartilhado um pouco do seu dia conosco. Seus olhos lacrimejaram e ele disse: ‘Não, obrigado a VOCÊS. Esse foi o melhor dia que tive ultimamente. Você me fez muito feliz, senhorita Norah’. Eles se abraçaram de novo e fomos embora. Norah ficou olhando até ele sumir de vista.

Eu estaria mentindo para você se dissesse que não me debulhei em lágrimas após esse encontro. 

Na primeira visita à casa do senhor Dan, Norah levou a primeira foto dos dois, no mercado, já emoldurada - Foto: Tara Woo

Na primeira visita à casa do senhor Dan, Norah levou a primeira foto dos dois, no mercado, já emoldurada – Foto: Tara Wood.

Eu estava surpresa com tudo e pensei que talvez alguns leitores da minha página do Facebook poderiam curtir a história, a qual postei com uma foto dos dois.

Mais tarde, naquela noite, recebi uma mensagem de uma leitora local que reconheceu o senhor Dan. Sua mulher, Mary, tinha morrido em março e ele estava sozinho desde que sua amada se foi. Ela queria que eu soubesse que certamente minha garotinha havia tocado o coração dele, que precisava disso e provavelmente nunca esqueceria isso. 

Pedi o número de seu telefone e liguei para ele uns dias depois.

Visitamos a casa aconchegante e arrumada do senhor Dan – com coisas de Mary orgulhosamente espalhadas por todos os lugares. Ele estava com o cabelo cortado, havia feito a barba e estava vestindo calça e sapatos sociais. E aparentava dez anos mais jovem.

Ele tinha arrumado uma mesa para criança, com papel em branco e lápis crayon para Norah. Ele perguntou se ela podia fazer uns desenhos para ele pendurar na porta da geladeira. Feliz, ela concordou e começou a trabalhar neles.

Ficamos quase três horas com o senhor Dan nesse dia. Ele era paciente e bondoso com minha garota falante e ativa. Ele limpou ketchup de sua bochecha e deixou que ela acabasse com seus nuggets de frango. 

Senhor Dan

Senhor Dan, Norah e a flor de seu jardim – Foto: Tara Wood.

Enquanto o levávamos à porta da frente depois do almoço, ele tirou um canivete do bolso e cortou a única rosa vermelha aberta perto do alpendre. Ele gastou dez minutos cortando fora cada espinho do caule antes de entregá-la a sua nova amiga.

Ela guarda essa rosa, agora seca como um osso, num saco Ziploc embaixo do seu travesseiro.

Norah pergunta sobre o senhor Dan todos os dias. Ela se preocupa com ele. Ela se pergunta se ele está só ou com frio ou se tem queijo para fazer seus sanduíches. Ela quer que ele fique bem. Ela quer que ele se sinta amado.

O senhor Dan também pensa na Norah. Depois de outra visita recente, ele contou que não tinha dormido uma noite inteira desde que sua esposa faleceu, mas que passou a dormir profundamente todas as noites desde que conheceu minha garota. ‘Norah me curou’, ele disse, o que me deixou sem fala e com minhas bochechas molhadas de lágrimas.

O amor que liga o senhor Dan a Norah Wood é perceptível mesmo em fotos - Foto: Tara Wood.

O amor que liga o senhor Dan a Norah é perceptível mesmo em fotos – Foto: Tara Wood.

Setenta e oito anos separam essas duas pessoas. De alguma forma, seus corações e suas almas parecem se reconhecer de muito tempo atrás. Norah e eu prometemos que veremos o senhor Dan toda semana – ainda que seja por apenas quinze minutos, apenas para um rápido abraço e para lhe deixar queijo dinamarquês (seu favorito!).  

Eu o convidei para passar o Dia de Ação de Graças (Thanksgiving) conosco. Ele é parte da nossa família agora. Goste ele ou não, ele foi integrado a minha família de nove pessoas e como Norah disse, “nós o amaremos muito”. 

Às vezes, conversar com estranhos pode resultar em belos novos começos. Experimente.

Não causa surpresa que essa história incrível esteja tocando corações no mundo to. Fico muito feliz que o senhor Dan e Norah tenham se encontrado e que venham muitos anos de amizade.”


Senhor Dan e Norah Wood celebrando Halloween - Foto: Tara Wood.

Senhor Dan e Norah celebrando Halloween – Foto: Tara Wood.

Depois desses primeiros encontros, Norah e sua mãe também comemoraram o aniversário de 82 anos do senhor Dan e ele esteve com a garotinha no Halloween deste ano. Logo mais, em novembro, tem Thanksgiving, depois Natal e assim vai.

Essa história ganhou o mundo e, pelo jeito, a amizade entre os dois – e, por extensão, com toda a família Wood – só se fortalece a cada novo encontro. Vida longa a todos eles e a esse sentimento lindo que os une!

É muito bom saber que o senhor Dan não estará mais sozinho pelos dias que ainda lhe restam neste planeta.  Você pode acompanhar tudo pela página no Facebook (clique aqui) que Tara Wood criou.

Atualização: Escrevi uma carta para ele logo depois que publiquei este post e, para minha surpresa, ele a respondeu. Muito doce! Escrevi de volta e enviei duas fotos daqui de onde vivo para ele conhecer um pouquinho essa parte do Brasil. A mãe de Norah conta que ele adora receber cartas e cartões. Então, enquanto for possível, continuarei a enviar notícias do sul de Minas Gerais para ele lá na Georgia.

O que me permitiu traduzir o texto, contatar a autora dele e estar em contato com o senhor Dan é o domínio que tenho de inglês, uma língua que adoro. Se você está buscando conhecimento e fluência nesse idioma, conheça o método inovador que recomendo, da Central Perk English School, clicando no banner abaixo. Não perca tempo para aprofundar seu aprendizado!


Fale inglês com fluência - Central Perk English School.

(Por: Amandina Morbeck)

 


 

Comentários – Facebook

Deixe seu comentário