Close ou close?

Publicado em por Amandina Morbeck em Língua inglesa
Jogador alemão Klose.

Jogador alemão Klose – Foto: Reprodução/AFP.

Durante a Copa do Mundo de 2011, eu estava assistindo ao jogo da Alemanha contra a Argentina no canal SporTV e lá pelas tantas o narrador falou algo sobre o jogador Klose e emendou com o seguinte comentário: “Klose, como naquele filme ‘Close’” – sua pronúncia para as duas palavras veio com o som de “z” e o “e” marcado no final.

Levei um susto, porque é automático eu perceber acertos e erros no uso das línguas portuguesa e inglesa. No caso da segunda, guardadas as devidas limitações, claro, de quem estuda bastante, mas que não é nativa. Em relação ao comentarista, encontramos algumas questões:

1) a grafia é diferente – o jogador era Klose e o filme que ele mencionou não era nem Close, mas Closer (traduzido no Brasil com Perto demais);

2) pronúncias – de acordo ele, o nome do jogador é pronunciado como Klouze e o nome do filme também como clouze – e aí entramos no ponto central deste post.

Na língua inglesa, a pronúncia do verbo (to) close (fechar, cerrar) e suas variáveis (como closed) é “clouz” (com som de “z” sem “e” marcado no final), enquanto a pronúncia de close/closer (perto, próximo) é “clous” (com som de “s” sem “e” marcado no final) – aplicável ao filme mencionado.

Dei aulas de inglês em escola e para alunos particulares e, principalmente nos níveis upper intermediate e advanced, vi muitas expressões de surpresa quando os corrigia com essas duas pronúncias. Parece tão sem sentido, não? Mas pegue um dicionário inglês/inglês e veja que os símbolos fonéticos que indicam a pronúncia não deixam dúvida: cləʊs e cləʊz.

Imagem de divulgação do filme Closer, com Julia Roberts, Jude Law, Natalie Portman e Clive Owen - Foto: Divulgação.

Imagem do pôster de divulgação do filme Closer, com Julia Roberts, Jude Law, Natalie Portman e Clive Owen.

Por que isso é importante? Por uma razão bem simples: imagine-se falando, em inglês, que você mora perto do Walmart: “I live (e não leave) close (só que aqui você provavelmente pronuncia como quase todo brasileiro, KLOUZ) to Walmart“. O que você disse? “Eu moro ‘fechar/feche’ do Walmart“. Não faz sentido, certo? Pois é, mas é exatamente isso o que acontece quando não sabemos ou quando não valorizamos as nuances de uma língua diferente da nossa e colocamos tudo no mesmo pacote de acordo com nossa referência linguística.

Mas você pode pensar: “Ah, fala sério, que importância tem isso para minha vida?” OK, se não tem, deixe para lá, mas se você usa a língua inglesa em seu trabalho ou se tem interesse em aperfeiçoar sua pronúncia e puder gastar mais alguns minutinhos nessa questão, pratique.

Espero que com a dica de hoje você se empenhe e tente usar “close” e “close” de forma correta. Diferentemente do Brasil, onde falar com sotaque estrangeiro e com “errinhos” é bonitinho e cativante, nos Estados Unidos e na Inglaterra, por exemplo, a reação é outra, muitas vezes de impaciência e/ou de chacota.

No vídeo abaixo, ouça a música Close to you, dos Carpenters (cləʊs) e no outro a música I don’t wanna miss a thing, do Aerosmith (com a pronúncia cləʊz). Veja se consegue captar essa pequena diferença.

E aí, o que você achou?

——————————————

Você também pode gostar (clique no título para acessar):

 

Amandina Morbeck

Aprenda as nuances da língua inglesa de forma definitiva e com foco na prática – sem abrir mão da importância da gramática e do vocabulário. Conheça o método da Central Perk English School clicando no banner abaixo.

Central Perk English School - curso de inglês online.

 

 

 

 


Comentários – Facebook

Deixe seu comentário